Amália SaavedraCrescimento e DesenvolvimentoFasesInfância

Higiene bucal infantil: a importância de cuidar dos dentes das crianças

*Por Luisa de Oliveira

Que a higiene bucal é fundamental para evitar doenças e sofrimento, e que garante o crescimento saudável das crianças, todo mundo sabe! Mas, é muito importante manter uma rotina diária de limpeza dos dentes e estimular bons hábitos de saúde, também.

Então, por que muitas famílias encontram dificuldades em manter a higiene bucal de seus filhos? Nem sempre é fácil incorporar essas medidas no dia a dia e há falta de informações técnicas. 

A higiene bucal deve começar com o aparecimento do primeiro dente de leite. No bebê em aleitamento materno exclusivo e sem a presença de dentes não é necessário limpar a boquinha porque o leite materno protege toda a cavidade bucal. A limpeza da boca dos bebês sem dentes pode ocorrer sempre que a família perceber resíduos alimentares ou o famoso “bafinho” azedo. Mas reforço: a higiene bucal começa quando nasce o primeiro dentinho, certo? 

Professora Auxiliar do Curso de Odontologia | UCPelEspecialista em Saúde Coletiva |RIS-GHCMestra em Odontopediatria |PPGO-UFPelDoutora em Odontopediatria |PPGO-UFPel  

A higiene bucal deve ser realizada no mínimo 2 vezes ao dia com escova de dentes apropriada e creme dental COM FLÚOR.O tamanho da cabeça da escova deve ser proporcional a boca do bebê (ou criança) e com as cerdas extramacias ou macias. A pasta de dente deve sempre conter flúor com concentração de no mínimo 1.000 ppm(partes por milhão). 

A partir de diversos estudos científicos hoje sabemos que flúor é um dos principais fatores responsáveis pela redução da ocorrência da doença cárie. No entanto, nas crianças pequenas, em idade pré-escolar, existe o receio da deglutição desse fluoreto, o que poderia causar manchamento de diversos graus (fluorose) nos dentes permanentes em formação. Por isso, os adultos devem se responsabilizar pela quantidade de pasta a ser colocada na escova e ensinar e estimular a criança a cuspir. Em bebês e crianças, que não sabem cuspir, a quantidade correta de pasta é equivalente a um grão de arroz (0,1g); e, nos que sabem cuspir a quantidade equivalente a um grão de ervilha (0,3g[lc2] ). Cuidado com essas pastas muito saborosas que as crianças gostam de comer! Lembre-se sempre que pasta de dentes não é comida, mas um produto de higiene pessoal, e deve estar fora do alcance das crianças.

E o fio dental? A maioria dos bebês e crianças possui os dentes de leite bem separados. Porém, quando os dentes forem muito juntos deve-se usar o fio dental para realizar a limpeza adequadamente, já que neste local as cerdas da escova não conseguem alcançar. O uso de fio dental exige ainda mais destreza e representa um comportamento de difícil adesão pela maioria dos pais. Por isso, sugiro procurar um dentista para receber as instruções do uso do fio dental individualizadas para cada criança.

É bastante difundido que devemos escovar os dentes 3 vezes ao dia. Mas a recomendação da Associação Brasileira de Odontopediatria é no mínimo 2 vezes por dia utilizando o creme dental com flúor. Ufa! Para a maioria das famílias é menos difícil garantir essas duas escovações mesmo com a rotina de trabalho e escola. A higiene bucal com pasta fluoretada nos bebês e crianças deve ser realizada após o café da manhã e após a última refeição antes de dormir à noite. Assim ficamos tranquilos que as crianças terão um ótimo aproveitamento dos benefícios do flúor e ficarão saudáveis, com a boca limpinha!

Os cuidados com a saúde bucal podem representar mais uma “obrigação” aos pais, normalmente já envolvidos com muitas tarefas. Mas esses cuidados devem ser realizados assim como dar banho, trocar fraldas, cortar as unhas, alimentar. Não tem como escapar, precisam ser feitos! 

Durante a escovação há grande variação no comportamento das crianças. Há diferenças entre as crianças (não existe uma criança igual a outra) e a aceitação varia inclusive na mesma criança dependendo a sua faixa etária. É natural que haja queixa ou choro quando são pequenos e que haja negação aos cuidados quando são pré-adolescentes. Faz parte! 

Alguns pais ficam extremamente sensibilizados frente ao choro e a briga para escovar, manifestando medo de que a criança “fique traumatizada”.  Bebês e crianças pequenas usam o choro como forma de comunicação, normalmente choram também durante outros cuidados do dia a dia e nós nem pensamos que ele está ficando traumatizado quando trocamos as fraldinhas durante o choro, né? Reações negativas à higiene bucal devem ser compreendidas e enfrentadas da mesma forma como fazemos em outras situações como cortar o cabelo, cortar as unhas e tomar banho.

A limpeza dos dentinhos com carinho e dentro da rotina familiar são pontos chaves para que a criança identifique a importância desse hábito. 

Crianças cooperam quando compreendem. Sempre explique com poucas palavras a importância de limpar os dentinhos para ela crescer bem e estar saudável para brincar e aprender. Mesmo durante o chorinho diga coisas positivas como “a mãe/pai está te cuidando, limpando os teus dentinhos para ficarem bem fortes!”.  Evite frases punitivas ou depreciativas “se não escovar o bichinho da cárie vai comer teu dente” ou “que feio, vai ficar com os dentes podres”.  A cooperação coloca a criança como agente, ela entende, ela também toma decisões, ela participa, ela cuida. 

Seja exemplo e mantenha os seus cuidados com a saúde bucal em dia, pois a criança não vai entender se você disser uma coisa e mostrar outra.  Quando a família tem uma rotina adequada de escovação, principalmente nesses momentos que já falamos acima (após o café da manhã e antes de dormir) fica mais fácil para a criança incorporar o hábito e cooperar durante a escovação. Cuidando de si mesmos, certamente os adultos cuidam do ambiente e de todos que os cercam e potencializam a ideia do autocuidado nas crianças. 

Muitos pais relatam “ela não deixa eu escovar, quer fazer sozinha”. É muito bom quando a criança se interessa e quer fazer a sua própria escovação! Isso mostra que ela captou a importância de manter a higiene bucal e quer cuidar de si (um aprendizado para a vida!). Porém, nós sabemos que para crianças de até sete anos de idade, o adulto responsável deve realizar a escovação, pois elas ainda não possuem destreza suficiente. Depois dos sete anos, a criança pode escovar os dentes sozinha, mas sempre com supervisão dos adultos. Aos dez anos, as crianças podem realizar a escovação sozinhas. Nós devemos estimular muito a autonomia da criança, deixar manusear e experimentar a escova de dentes (lembrando os cuidados com a ingestão do flúor, como falamos anteriormente), mas não dá para contar esses exercícios como escovação pois não está garantida a limpeza adequada. Nesses momentos diga para a criança “que linda, escovando os dentinhos, cuidando da saúde!” sempre reforce positivamente! Mas complemente a escovação dizendo “muito bem, estão bem limpinhos, agora eu vou apenas retocar” ou “eu vou dar uma dose extra de brilho e força” e faça a escovação completa.

Higiene bucal é cuidado. A infância é um período de intensos aprendizados que vamos levar para o resto da vida. Estimular bons hábitos de higiene bucal desde a infância possibilita um crescimento saudável e a manutenção da saúde bucal ao longo da vida.  Nesse processo, terão momentos fáceis e momentos difíceis, mas insista e persista! Tenha sempre em mente que esse cuidado é fundamental e que estás fazendo o melhor para o seu filho!


*Professora Auxiliar do Curso de Odontologia | UCPelEspecialista em Saúde Coletiva |RIS-GHCMestra em Odontopediatria |PPGO-UFPelDoutora em Odontopediatria |PPGO-UFPel 

Fontes:

http://abodontopediatria.org.br/orientacoes_aos_pais_sobre_cuidados_com_a_saude_bucal_do_bebe_e_da_criancas.pdf
https://www.gcdfund.org/sites/default/files/users/Portuguese%20OH%20Your%20Child.pdf

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *